apresentação


testo de bom dia


" Não quero ser na tua vida o início do fim, nem o fim de um começo, mas o início de um começo sem fim."

Bem Vindos

Bem Vindos ao Cantinho Poético

quinta-feira, 17 de maio de 2012

0

Desencanto


Desencanto 

 Eu faço versos como quem chora 
 De desalento... de desencanto... 
 Fecha o meu livro, se por agora 
 Não tens motivo nenhum de pranto. 
Meu verso é sangue. 
Volúpia ardente... 
 Tristeza esparsa... remorso vão... 
 Dói-me nas veias. 
Amargo e quente, 
 Cai, gota a gota, do coração. 
 E neste versos de angústia rouca 
 Assim dos lábios a vida corre, 
 Deixando um acre sabor na boca. 
 -Eu faço versos como quem morre. 

 (Manuel Bandeira)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

**************Seja Bem Vindo(a)! Deixe seu comentário ou sugestão. Obrigada